José de Alencar, sobre a literatura:

"Palavra que inventa a multidão, inovação que adota o uso, caprichos que surgem no espírito do idiota inspirado".
Benção Paterna, 1872 - tem coisas que não mudam.




quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A metamorfose, de Franz Kafka. Resumo simples da narrativa

A pedido dos amigos que gostaram da análise crítica que fiz do livro "A Metamorfose", resolvi publicar também o resumo que cometi (!). Não podemos esquecer que literatura é mais "como se diz" do que "o que se diz", então o resumo é a anti-literatura... Mas acho que serve muito bem para tirar a curiosidade de quem não leu e quer conhecer a história. Cito umas frases do livro, para ajudar a sentir também, além do enredo, o estilo do autor. beijos e até

Certa manhã,  ao despertar de sonhos intranquilos, Gregor Samsa encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso”. Assim começa o livro. Gregor era um caixeiro viajante que detestava o seu trabalho, mas que a ele estava irremediavelmente preso por dívida, por mais pelo menos 5 anos.
Preso no quarto, ele pensa em voltar a dormir, esperando que o sono ou o silêncio restaurem a normalidade.  Depois racionaliza, ao “se mostrar” acabaria com as preocupações: se a família e o seu gerente se assustassem com o seu estado, eles entenderiam porque não se levantou; e se, ao contrário, não se importassem, simplesmente iria trabalhar, desculpando-se pelo atraso. Mas o gerente foge e a família, assustada e enojada, o mantém preso em seu quarto. Gregor também, como Kafka, nutre pela irmã um amor incestuoso, mas ela cada vez mais se distancia dele.
Mostrando sinais de animalização, Gregor inicialmente perde o poder de se expressar pela fala. Depois muda seu paladar, passando a gostar de comidas podres e restos. Em seguida passa a enxergar cada vez menos e a rastejar pelo quarto, chão, paredes e teto. A irmã remove toda a mobília para permitir sua movimentação livre, mas aí ele percebe que estão aos poucos transformando seu quarto humano numa toca e que isso é a prova de que não há esperança na reversibilidade de sua situação. No final, usam seu quarto como depósito de entulho e não limpam mais nada, ficando ele também “coberto de pó, fiapos, cabelos e restos de comida” e com uma maçã que o pai arremessou contra ele encravada nas costas, apodrecendo.
“Kafkianamente” o autor nos diz, num dado momento, que embora Gregor pudesse voar e andar pelo teto ele prefere se manter no chão, para não ameaçar a família. No início, ele esperava apenas aceitação e carinho. No final, enfraquecido pela fome, solidão e tédio, ele passa a sentir ódio pelos maus tratos. Mas nada fazia.
A única coisa boa que lhe aconteceu desde a metamorfose foi ouvir a irmã tocar violino. Emocionou-se tanto que chegou a duvidar de sua condição de animal.
Finalmente ele ouve a irmã dizer que a família devia livrar-se dele.  “Sua própria opinião de que deveria desaparecer era talvez ainda mais decidida que a da irmã... Permaneceu nesse estado de reflexões vazias e pacíficas... sua cabeça inclinou-se totalmente para baixo e das suas ventas brotou, fraco, o último suspiro”.
No dia seguinte, após constatado o óbito, a empregada anuncia: “A senhora não precisa se preocupar em como se livrar da coisa aí do lado. Já está tudo em ordem”. Então pai, mãe e irmã resolvem tirar o dia de folga e vão para um singelo passeio de bonde elétrico.

7 comentários:

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Olá, bom final de semana Nina
Já li, Kafka, esse e outro Livros dele. É realmente instigante quanto ao apontar os fantasmas e fantasias que movem os seres hamanos.
Ele trabalha com os aspectos dramáticos da existênncia.
Gostei do resumo. É isso mesmo.
Beijos.

mlbelem disse...

Bom resumo.
Assinei seu feed.
Bjs

Nina Maniçoba disse...

Salete Cardozo Cochinsky, eu adoro os seus comentários, são sempre gentis e inteligentes (tem coisa melhor?). Adorei esse livro, muito louco, parece simples, uma fábula risível... e os amigos de Kafka riam quando ele lia - afinal sua consagração só veio depois de sua morte. Mas é incrível o que se pode apreender desse texto tão pequeno. bjs

henrique maximo disse...

gostei bem legar

Caio Braga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Caio Braga disse...

O melhor resumo sobre esse livro

Caio Braga disse...

melhor resumo desse livro