José de Alencar, sobre a literatura:

"Palavra que inventa a multidão, inovação que adota o uso, caprichos que surgem no espírito do idiota inspirado".
Benção Paterna, 1872 - tem coisas que não mudam.




sábado, 12 de novembro de 2011

Poemínimos

Esses dois poeminhas ganharam 1o e 2o lugar -Melhores Haicais dentre os mais de 20 ótimos concorrentes da Oficina de Haicai do B-Eco de 17/10/2011 - e os dois são meus! Adorei! Os colegas que estavam na oficina que votaram. Obrigada a todos.

Calor da noite
Mormaço sem abraço
Saudade feito açoite (Nina)


A lua nova que era nova chora
No pescoço da noite
E agora? (Nina)

4 comentários:

angela disse...

Realmente lindos.

Nina Maniçoba Ferraz disse...

Legal. Obrigada.

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Parabéns Nina
Bem merecidos. São interessantes e de uma sonoridade infinita.
Beijos
Foi bom ter entrado aqui.

Fabrício Franco disse...

Gostei muito. A sonoridade dá outra dimensão à outrora dureza do haicai. Parabéns!